Já não é novidade para ninguém que o vídeo é uma das mais poderosas ferramentas da actualidade.

 

De acordo com o livro Small Business Video Marketing Guide, passamos em média um terço de toda a nossa actividade digital a assistir a vídeos, e os mais recentes estudos sobre a matéria até indicam que um quarto de todos os internautas os assiste todos os dias.

Isto já para não falar das assombrosas estatísticas de gigantes como o YouTube: mais de mil milhões de utilizadores, centenas de milhões de horas de vídeo assistidas por dia, milhares de milhões de visualizações diárias.

Nem todos estes vídeos são protagonizados por gatinhos ou bebés; muitos são partilhados com ambições estratégicas ou comerciais, reflexo da crescente relevância do video marketing no plano de comunicação das empresas. Existem três grandes razões para investir no vídeo em detrimento de outras ferramentas.

 

1. O vídeo permite estabelecer uma relação especial com o público

Por muito interessante que seja a informação apresentada, o vídeo tem um apelo que o texto simplesmente não é capaz de atingir. Susan Weinschenk, psicóloga comportamental, fundadora do Weinschenk Institute e consultora de marcas como Amazon, Disney ou Walmart, justifica esta apetência em quatro pontos:

programados-para-prestar-atencao-rostos

Estamos programados para prestar atenção a rostos
A região cerebral conhecida como giro fusiforme, responsável pelo processamento dos rostos, “obriga-nos” a tomar atenção às faces com que nos deparamos. Um conjunto de textos ou gráficos sem rostos não é, portanto, capaz de ser tão imediatamente apelativo ou credível como um vídeo que os inclua.

 

programados-para-prestar-atencao-vozes

Estamos programados para prestar atenção a vozes
Uma voz a falar para nós é recebida com uma legitimidade que outros meios não possuem. O simples som da voz humana confere um maior significado às informações.

 

emocoes-sao-contagiosas

As emoções são contagiosas
A linguagem corporal das emoções é-nos naturalmente apelativa e contagiosa. Se alguém sorri para nós, sorrimos de volta. E quando, de modo inconsciente, imitamos expressões emotivas, acabamos por sentir as emoções invocadas.

 

movimentos_puxam_atencao

Os movimentos puxam a atenção
Os nossos olhos são automaticamente atraídos por movimento, o que faz do vídeo uma ferramenta de informação particularmente eficaz quando comparada com meios de comunicação mais estáticos.

Não será, por tudo isto, de estranhar que o vídeo seja já o segundo meio mais utilizado pelos responsáveis de marketing para aumentar o reconhecimento e interesse do público nos seus negócios.

Confira aqui a explicação detalhada de Susan Weinschenk sobre o apelo particular do vídeo.

video-em-campanhas-digitais

2. O vídeo optimiza o potencial das campanhas digitais

 

Uma estratégia de comunicação digital sem vídeo é como um arranha-céus sem elevador.

Ao possibilitar o rápido envolvimento com o público-alvo, o vídeo amplifica a presença on-line das marcas com uma velocidade e eficácia que outros meios não possuem.

De acordo com uma pesquisa de James McQuivey, da Forrester Research, uma página que contenha vídeos tem uma probabilidade 53 vezes maior de surgir na primeira página do Google. E mais: os resultados das pesquisas de vídeos têm uma taxa de cliques 41% mais alta do que os resultados de pesquisas de textos simples. O investigador afirma ainda que um minuto de vídeo tem o mesmo valor que 1,8 milhões de palavras.

Mas se o vídeo facilita a exposição, também é capaz de gerar maior envolvimento. Segundo a Perfomics, a interacção dos utilizadores de redes sociais com conteúdos de natureza comercial é 37% mais provável se estes estiverem em vídeo. E, de acordo com o Simply Measured, os vídeos são 1200% mais partilhados do que a combinação de textos e hiperligações.

Saliente-se, a propósito, a importância das partilhas e recomendações no efeito potencial de um vídeo. Um estudo publicado pelo Unruly através da Decipher Media Research indica que as pessoas preferem os vídeos que lhes são recomendados (por amigos, fontes noticiosas e sítios ou blogues de referência) aos que descobrem por acaso.

Por sua vez, a apreciação de um determinado vídeo comercial aumenta em:

  • 139% a identificação com a marca;
  • 97% a intenção de compra;
  • 35% a preferência para com a marca;
  • 14% o reconhecimento de marca.

Ao promover não apenas os produtos, serviços e negócios anunciados, mas também o envolvimento com o público nas diversas plataformas digitais, o vídeo optimiza o poder da Internet e serve de elemento conector para qualquer estratégia de comunicação.

video-traz-resultados

3. O vídeo obtém resultados

De acordo com um estudo promovido pela Online Publishers Association, 80% dos internautas recorda-se de assistir a pelo menos um vídeo publicitário num dos websites visitados nos últimos 30 dias. Deste grupo, 46% declara ter tomado posteriormente alguma acção:

  • 26% procuraram mais informações sobre o tema referido no vídeo;
  • 22% visitaram o website anunciado;
  • 15% procuraram a empresa representada;
  • 12% adquiriram o produto ou serviço específico que o vídeo apresentava.

Ainda de acordo com a mesma associação, é 64% mais provável que as pessoas adquiram um produto depois de assistirem a um vídeo que o apresente.

Deve-se ainda salientar o poder do vídeo no mercado empresarial. Um estudo apresentado na Forbes Insight avança que 59% dos executivos séniores das empresas preferem ver um vídeo a ler um texto com a mesma informação. A grande maioria destes executivos declara ainda ter o hábito de assistir, todas as semanas, a vídeos de natureza comercial. Depois de o fazerem:

  • 65% já visitaram o website do anunciante;
  • 53% já procuraram mais informações sobre o produto ou serviço anunciado;
  • 39% já contactaram o anunciante;
  • 42% já fizeram uma compra para o seu negócio.

As empresas que investem em vídeo vêem aumentar as taxas de envolvimento com o público (especialmente em dispositivos móveis), as taxas de click-through e as taxas de conversão, pelo que a conclusão é simples: se ainda não aposta em video marketing, está aquém do seu potencial e a perder clientes para quem já o usa.

 


autor-blog-luneta

SOBRE O AUTOR
Tiago Matos

Apaixonado por escrita, cinema e cada vez mais rendido ao vídeo.